PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA


26 DE SETEMBRO DE 2018 (MANHÃ)

09:00 – 12:00
TREINAMENTO REMPRO-SBQ E PANORAMA NACIONAL

26 DE SETEMBRO DE 2018 (TARDE)

14:00 – 14:15

ABERTURA


14:15 – 15:40
MÓDULO I
OTIMIZANDO O PACIENTE PARA A CIRURGIA DE QUADRIL


14:15 – 14:25
Como evitar complicações em ATQ primária? Conceitos fundamentais

14:25 – 14:35
ATQ no paciente obeso: o que considerar?

14:35 – 14:45
Conservação sanguínea perioperatória. Qual o melhor procedimento?

14:45 – 14:55
Drenos cirúrgicos e sondagem vesical: uso racional ou rotineiro?

14:55 – 15:05
ATB profilaxia: melhor momento e que critérios de escolha utilizar?

15:05 – 15:15
Novos métodos de anestesia/analgesia peri-operatória: quais são realmente eficazes?

15:15 – 15:25
Prevenção do TEV: AAS é suficiente?

15:25 – 15:40
Discussão

15:40 - 16:00
INTERVALO
Visita aos expositores

16:00 - 18:00
MÓDULO II
CONTROVÉRSIAS NO TRATAMENTO DAS FRATURAS DO QUADRIL NO IDOSO

16:00 – 16:40
CONTROVÉRSIA I.1
Haste IM para todas as fraturas trocantéricas instáveis?

16:40 – 17:20
CONTROVÉRSIA I.2
ATQ para todas as fraturas desviadas do colo femoral?

17:20 – 18:00
CONTROVÉRSIA I.3
ATQ imediata para todas as fraturas desviadas do acetábulo?

27 DE SETEMBRO DE 2018 (MANHÃ)

08:00 – 12:10
MÓDULO III
INFECÇÃO EM IMPLANTES DE FIXAÇÃO E ESTABILIZAÇÃO ÓSSEA (PREVENÇÃO, DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO). ATUALIZAÇÃO II ICM

08:00 – 09:15
SIMPÓSIO I
INFECÇÕES ASSOCIADAS À FIXAÇÃO DE FRATURAS DOS OSSOS LONGOS

08:00 – 08:12
Epidemiologia, classificação e impacto das infecções pós-osteossíntese de fraturas das extremidades

08:12 – 08:24
Prevenção da infecção pós-osteossíntese: que medidas têm real importância clínica?

08:24 – 08:36
Diagnóstico das infecções pós-osteossíntese: o que há de novo?

08:36 – 08:48
Antibioticoterapia com retenção dos implantes: quando indicar e como fazer?

08:48 – 09:00
Quando remover os implantes, como fixar e quais medidas adicionais de estabilização?

09:00 – 09:15
Discussão

09:15 – 10:00
SIMPÓSIO II
DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DAS INFECÇÕES ASSOCIADAS A IMPLANTES DE FIXAÇÃO E ESTABILIZAÇÃO: DISCUSSÃO DE CASOS

10:00 – 10:20
INTERVALO
Visita aos expositores

10:20 – 12:10
SIMPÓSIO III
MANEJO RACIONAL DAS FRATURAS EXPOSTAS

10:20 – 10:32
O que avaliar na fratura exposta: princípios do tratamento

10:32 – 10:44
Avanços no tratamento da fratura exposta

10:44 – 10:56
Cobertura imediata ou diferida: quando, porque e como fazer

10:56 – 11:20
Discussão

11:20 – 12:10
CONTROVÉRSIA III.1
Fixação interna x fixação externa nas fraturas expostas. Casos clínicos
Discussão de casos clínicos

27 DE SETEMBRO DE 2018 (TARDE)

14:00 – 18:10
MÓDULO IV
INFECÇÃO ARTICULAR PERIPROTÉTICA (IAP): ATUALIZAÇÃO DIAGNÓSTICA E TERAPÊUTICA

14:00 – 15:10
SIMPÓSIO IV.1
PRINCIPAIS MÉTODOS DIAGNÓSTICOS DA IAP: BIOMARCADORES, SONICAÇÃO E TÉCNICAS DE CULTURA, IMAGENS CONVENCIONAIS E AVANÇADAS

14:00 – 14:10
Epidemiologia das IAPs no Brasil

14:10 – 14:20
Diagnóstico pré-operatório da IAP: qual a utilidade dos achados clínicos?

14:20 – 14:30
Biomarcadores de infecção protética: quais utilizar?

14:30 – 14:40
Métodos de diagnóstico etiológico da IAP. Uso e aplicações

14:40 – 14:50
Qual o valor dos métodos de imagem atuais no diagnóstico de IAP?

14:50 – 15:00
Evidence based algorithm for diagnosing PJI (Update II ICM-2018)

15:00 – 15:10
Discussão

15:10 – 16:15
SIMPÓSIO IV.2
PREVENÇÃO E TRATAMENTO DA IAP: ANTIBIÓTICOS E BIOFILME, E MEDIDAS NÃO-CIRÚRGICAS

15:10 – 15:20
IAP e biofilme

15:20 – 15:35
Total joint prosthetic materials and the risk for PJI. The role of tantalum trabecular metal implants

15:35 – 15:45
Segurança e eficácia de antibióticos em IAP

15:45 – 15:55
Medidas conservadoras na infecção superficial e drenagem persistente da ferida cirúrgica

15:55 – 16:15
Discussão

16:15 – 16:30
INTERVALO
Visita aos expositores

16:30 – 17:30
SIMPÓSIO III
TRATAMENTO CIRÚRGICO DA IAP: QUAL O PROCEDIMENTO MAIS INDICADO?

16:30 – 16:40
Existe lugar para a I&D no tratamento da IAP? Quando indicar e como fazer?

16:40 – 16:50
Revisão de ATQ em 1 tempo: princípios, indicações e técnica

16:50 – 17:00
Revisão de ATQ em 2 tempos: princípios, indicações, técnica e critérios para reimplantação

17:00 – 17:15
Innovative modular antibiotic laden cement spacer for two stage hip revision

17:15 – 17:30
Discussão

17:30 – 18:10
PAINEL 1
ENDO-KLINIC EXPERIENCE WITH ONE STAGE TREATMENT OF PJI

17:30 – 17:42
Modular stems for one stage revision THA infections

17:42 – 17:56
The role of rotating-hinge prosthesis for one stage revision TKA infections

17:56 – 18:10
Discussão

28 DE SETEMBRO DE 2018 (MANHÃ)

08:00 – 09:15
MÓDULO V
TECHNICAL AND TECHNOLOGICAL ADVANCES IN HIP SURGERY

08:00 – 08:12
Femoral stem design: the long & short of it

08:12 – 08:24
Cup revision: current state of the art

08:24 – 08:36
Point of care/rapid tests for diagnosing PJI. The role of synovasure alfa defensin test

08:36 – 08:48
Arthroscopic treatment of hip fractures

08:48 – 09:00
What to do with the borderline hip?

09:00 – 09:15
Discussão

09:15 – 12:10
MÓDULO VI
ARTROPLASTIA TOTAL PRIMÁRIA DE QUADRIL (ATQ)

09:15 – 10:10
SIMPÓSIO I
INSTABILIDADE PÓS-ATQ: CAUSAS, MECANISMOS, PREVENÇÃO E TRATAMENTO

09:15 – 09:25
Princípios e técnicas para o posicionamento acetabular em ATQ

09:25 – 09:35
Diâmetro da cabeça e instabilidade: quão grande deve ser a cabeça?

09:35 – 09:45
Qualidade do fechamento capsular: é realmente importante?

09:45 – 09:55
Insertos constritos e de dupla mobilidade em ATQ primária: quando? como? por que?

09:55 – 10:10
Discussão

10:10 – 10:30
INTERVALO
Visita aos expositores

10:30 – 11:00
PAINEL 1
ABORDAGEM E INSTABILIDADE: O ACESSO ANTERIOR DIRETO VEIO PARA FICAR!

11:00 – 12:10
SIMPÓSIO II
IMPLANTES E SUPERFÍCIES PROTÉTICAS-ATQ PRIMÁRIA

11:00 – 11:12
Alternative bearing surfaces: an evolution in time

11:12 – 11:22
Cabeças metálicas: qual o impacto da corrosão da junção cabeça/cone?

11:22 – 11:32
Cerâmica/PE: quais os motivos para o seu uso crescente?

11:32 – 11:45
Femoral stem modularity: curse or comfort?

11:45 – 11:55
Stem and cup choice in “complex” total hip replacement

11:55 – 12:10
Discussão

12:30 – 13:30
SIMPÓSIO CERAMTEC

28 DE SETEMBRO DE 2018 (TARDE)

14:00 – 18:15
MÓDULO VII
CIRURGIA PRESERVADORA DO QUADRIL

14:00 – 15:05
SIMPÓSIO I
CONCEITOS FUNDAMENTAIS NA CPQ

14:00 – 14:10
IFA e artrose. Quando e como evitar?

14:10 – 14:20
Abordagem artroscópica ou aberta na CPQ: vantagens e limitações

14:20 – 14:35
Arthroscopic treatment of hip dysplasia

14:35 – 14:50
Cartilage repair in the hip: what is the available science?

14:50 – 15:05
Discussão

15:05 – 16:10
SIMPÓSIO II
TÉCNICAS E PROCEDIMENTOS USUAIS NA CPQ

15:05 – 15:15
Correção do CAME: como melhorar os resultados clínicos e evitar complicações

15:15 – 15:30
Arthroscopic treatment of pincer femoroacetabular impingement

15:30 – 15:45
Labral reconstruction: clinical or experimental?

15:45 – 16:00
Arthroscopic labral reconstruction

16:00 – 16:10
Discussão

16:10 – 16:30
INTERVALO
Visita aos expositores

16:30 – 17:30
SIMPÓSIO III
Procedimentos avançados na CPQ

16:30 – 16:40
Osteotomia de realinhamento subcapital artroscópica

16:40 – 16:50
Osteotomia periacetabular na CPQ

16:50 – 17:05
Closed femoral derotational osteotomies

17:05 – 17:20
Subcapital re-alignment in SCFE. What are the outcomes today?

17:20 – 17:30
Discussão

17:30 – 18:30
SIMPÓSIO ORTHO SYSTEM

29 DE SETEMBRO DE 2018 (MANHÃ)

08:00 – 11:50
MÓDULO VIII
REVISÃO DE ARTROPLASTIA TOTAL DE QUADRIL (RATQ)

08:00 – 09:00
SIMPÓSIO I
ATQ DOLOROSA (PRINCIPAIS CAUSAS DE FALHA NA ATQ)

08:00 – 08:10
Algoritmo na investigação da ATQ dolorosa

08:10 – 08:20
Causas periarticulares de ATQ dolorosa

08:20 – 08:30
Causas e mecanismos da soltura femoral

08:30 – 08:40
Causas e mecanismos da soltura acetabular

08:40 – 09:00
Discussão

09:00 – 10:20
SIMPÓSIO II
REVISÃO FEMORAL

09:00 – 09:10
Classificações da deficiência óssea femoral: relevância para a escolha do procedimento

09:10 – 09:20
Remoção do cimento ósseo: qual técnica usar?

09:20 – 09:30
Cimento sobre cimento: quando, como e por que?

09:30 – 09:40
Hastes de fixação distal: quando, como e por que?

09:40 – 09:50
Impacção óssea: quando, como e por que?

09:50 – 10:00
Fratura femoral periprotética tardia: princípios do tratamento

10:00 – 10:20
Discussão

10:20 – 10:35
INTERVALO
Visita aos expositores

10:35 – 11:50
SIMPÓSIO II
REVISÃO ACETABULAR

10:35 – 10:45
Classificações da deficiência óssea acetabular: relevância para a escolha do procedimento

10:45 – 10:55
Osteólise sem soltura: quando e como intervir?

10:55 – 11:05
Reconstrução com enxertia óssea: quando, como e por que?

11:05 – 11:15
Reconstrução com reforços metálicos: quando, como e por que?

11:15 – 11:25
Descontinuidade pélvica: como identificar e como tratar?

11:25 – 11:35
Fratura acetabular periprotética tardia

11:35 – 11:50
Discussão

11:50 – 12:00
SORTEIOS E ENCERRAMENTO

Realização

Apoio


Patrocínio

Contato

Desenvolvido por:  Byte Livre